Meu velório

30mar09

Levei um susto no domingo. Depois de sacudir a poeira da bicicleta e encher os pneus já murchos pelo desuso, resolvi testar os pulmões e arremeti para os lados de Camobi. Fui até o trevo da Ufesm em trinta minutos e dei de volta, sem parar, antes que a canseira me derrubasse. Ir pela faixa nova foi muito seguro pois o acostamento está bom. Retornei pela faixa velha. Na altura do plátano, um tanto antes, o acostamento não existe mais e aproveitei o pouco movimento para andar bem no cantinho, na linha branca entre a pista e o acostamento. Pensei, o homem é bom, domingo de manhã e tal e coisa, vou que é seguro. Fui devidamente empurrado para fora em poucos minutos pelo estrondo da buzina de um caminhão que não estava nem aí para o homem é bom.

Errei. Eu devia andar no acostamento, que não dá para dizer que existe de tão ruim que é. Quase me fui, por culpa minha.

Continuei pedalando e fiquei pensando se alguma autoridade viria para meu velório. O Schirmer eu sei que viria, velhos colegas que somos, ele arrumaria uns minutos na agenda para me visitar no caixão. O Valdeci, quem sabe. E aí minha imaginação, a louca, disparou. E se viessem muitos como eles, a lista toda dos prefeitos, desde os mais antigos, Farret, Osvaldo, toda a turma? E se viessem mais, quem sabe um governador como o bom Simon ou a até a Dona Yeda? Eu diria para eles, lá do além, eu diria no ouvido deles, que pena que nesses anos todos, que nessas décadas muitas, a nossa faixa velha entre Santa Maria e  Camobi continua a mesma de sempre, sem um acostamento decente que mostre o respeito de uma cidade pelos cidadãos que tentam fazer da bicicleta um meio de transporte.

Anúncios


4 Responses to “Meu velório”

  1. 1 Elton

    Olá Ronai,
    Já andei muito de bicicleta no sentido centro-universidade, e tenho conciência do acostamento, mesmo depois da reforma que ali fizeram. Sem sombra de dúvidas é um dos melhores da cidade (o que não quer dizer que seja bom), principalmente quando comparado ao da faixa velha e o trecho que leva até Itaara (este último é apenas a tal faixa branca).
    Não preciso lembrar, que é essencial o uso de equipamentos de segurança, e uma roupa adequada, não apenas pelo fato da segurança proporcionada pelo equipamento, mas principalmente pela segurança que os motoristas passam a dar, visto que o ciclista passa então a ser visto como um ‘ciclista sério’, que merece algum bocado de respeito.
    Quanto ao velório, de fato também já pensei neste mesmo assunto enquanto pedalava, porém creio apenas não atrair tantas pessoas (o que pode não ser ruim).
    Abraço.

  2. 2 Elton

    *consciência

    • 3 Gerry

      Haha, dette kjente jeg meg veldig igjen i!Jeg har ogsÃ¥ et par bokstaver her og der, men fant aldri de jeg kunne tenke meg sÃ¥ de betyr ikke sÃ¥ mye som de egentlig skulle. Og det ene ordet som liksom skulle bli sÃ¥ kult ble jeg aldri enig med meg selv om hva skulle vÃe..r¦.Hehe, men dette tipset var supert!!!Ha en finfin dag!

  3. 4 ronairocha

    Elton, obrigado! A idéia é a gente começar a assombrar um pouco todo tipo de gente que pode ajudar nessa meta de mais ciclovias.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: