Archive for agosto, 2011

Vara curta

29ago11

Leio na página da Ufesm que o Curso de Direito vai fazer, no dia 2 de setembro uma Aula Magna. Aula Magna é coisa importante no meio acadêmico. O tema da cuja é “Direito à Memória e à Verdade”, e estará na pauta, nas palavras do sítio da Ufesm, “temas relacionados à ditadura militar brasileira, […]


Errei nas cobertas de novo, esperando o frio. Ele não veio. Acordei suando e tentando recordar o pesadelo. Eu olhava para a parede do quarto, ao lado da cama. Ali eu podia ler esses versos, escritos a lápis sobre as camadas de tinta que se confundiam: “Estou doente, dos olhos, da boca, dos nervos até. […]


Li a entrevista do Nelson Jobim na Piauí. Matéria longa, oito páginas, assinada por Consuelo Dieguez. Quem conhece um pouco o Jobim vai reconhecê-lo em cada linha da entrevista, recheada por detalhes de biografia. Eu convivi com Jobim algum tempo. Ele, já professor no Direito, inscreveu-se no Mestrado em Filosofia da Ufsm e foi um […]


Estou lendo um livro de Richard Sennett, “O Artífice”. E isso me levou a outros textos dele. Ele se considera da “velha esquerda”, um tanto perplexo com os rumos desse tipo de pensamento no mundo de hoje. Em outro texto, divulgado pela “Carta Maior“, ele aborda os impasses da esquerda, uma coisa decadente no mundo […]


O ardil 22

10ago11

Um dos grandes filmes dos anos setenta foi Ardil 22. Não li o romance do Joseph Heller, mas vi o filme. Foi, de longe, o filme que mais me impressionou até hoje. Mas não recomendo. Tem cenas de guerra absolutamente chocantes. Mas recomendo. Tem um humor do cão. Um dos temas do filme é extremamente […]


Tive um pesadelo ontem. Gripe, febre, a umidade melequenta dessa semana, excessos variados e no meio da noite eu deliro. Um colega me fazia essa pergunta, “mas se estás contra a greve, vai na assembléia, defente a tua posição!” Delirante, mas nem por isso menos preguiçoso, me refugio no argumento rasteiro e que desvia a […]


Um filósofo paulista, Vladimir Safatle, escreveu recentemente que os filmes de Lars Von Trier “retratam uma época que descobriu que a insistência na certeza moral subjetiva é, muitas vezes, a maneira de não nos perguntarmos sobre como as nossas ações serão recebidas em contextos intersubjetivos.” Logo a seguir ele comenta que as heroínas dos filmes […]