Os deboches do dia

09ago12

Dois deboches dos Desmandos Locais de Breve marcaram a quinta-feira, 9 de agosto. No primeiro deles um grupo de debochantes bloqueou o acesso à Coperves durante toda a manhã. Os debochantes queriam mostrar ao Reitor que a Resolução 017/2012 (que previa que o bloqueio, nesses dias, do acesso à qualquer lugar da Ufesm suspenderia a reunião do Cepe, e com isso ocorreria o início do segundo semestre letivo, automaticamente) era da boca para fora. Fizeram uma provocação de guris, ocupando a Coperves até depois do meio-dia. A reunião do Cepe não foi suspensa e os debochantes derrubaram assim a Resolução.
O segundo deboche do dia está na página 5 do Diário de Santa Maria; duplo deboche, por sinal. Trata-se de um “Comunicado de Falecimento e Missa de Sétimo Dia”; o falecimento é o da dita Resolução. O anúncio foi publicado ao lado da participação de falecimento do Sr. João Luciano Varella Neto. Não sei como o Diário aceitou publicar a palhaçada sindical. Os dois fatos serviram, ao menos, como evidência para o estado mental das deliberações das assembléias.
Talvez ninguém se importe mais com nada. Nem o Reitor, nem o Diário, nenhum de nós.
Chegamos ao fundo? Ainda não.
Amanhã o Cepe aprovará a suspensão do calendário escolar por tempo indeterminado. Entraremos, com o penico do Cepe, em regime de sindicalismo chapa branca, o sonho de consumo da nova geração anti-produtivista.
Prefiro ser pelego do que penico.
Eu não sei mais se o que sinto é raiva ou vergonha.
De mim mesmo, claro.

Anúncios


20 Responses to “Os deboches do dia”

  1. 1 Alexandre

    Impressionante… Como sabemos que a reunião do CEPE não foi suspensa?

  2. 2 Athos

    Concordo. Panfletagem no DM. Desrespeito com a família enlutada de João Luciano.
    Já escrevi aqui, ainda acho que o sindicalismo não se achou na era Lula/Dilma. Um é pelego… o outro ultrapassado.

  3. Não é só peleguismo é a conformação da própria alienação doentil. A estagnação de alguns professores me dói muito. Sinto-me com pena mas ninguém vai derrubar meus sonhos e não é pq sou jovem que irei desistir desses sonhos que no passado muitos acreditaram e hoje se apresentam limitados. É aí é que se mostra o forte e o lúcido.

  4. Bem, a coisa é triste… A greve é legítima mas inoportuna, talvez não seja o momento mundial ou mesmo nacional para uma greve generalizada. Primeiro, há uma crise econômica mundial onde professores lutam na Europa para manter os empregos enquanto aqui queremos aumento. Claro, os professores merecem um aumento, a educação merece muito mais atenção e investimento, os funcionários tem de ser mais valorizados. Porém, talvez o segmento esteja gastando uma “munição-de-greve” que poderia ser melhor utilizada num momento mais oportuno.

    O “comando de greve” fez pairar notas e circulares intimidadoras, assim como tentou usar uma psicologia reversa falaciosa chamando de “assédio moral” processável quem não aderisse á greve. Contudo, esta ameaça velada é que parece u tipo de assédio moral. A greve é um direito e não um imposição e, mesmo legítima, não quer dizer que seja oportuna.

    Pergunto: por que os professores que querem cumprir seus deveres para com os alunos e instituição deveriam ser “desmoralizados” por não concordarem com o “momento da greve” (sem se opor á legitimidade da mesma)? Por que os alunos de graduação e pós-graduação – muitos deles bolsistas e sustentados por tais bolsas – devem ter sua formação atrasada e ainda terem suas bolsas ameaçadas de suspensão? Por que uma meia dúzia de professores – muitos deles aposentados ou prestes a se aposentar ou que não têm nada a perder e algo a ganhar – se aferram à manutenção irrestrita da greve enquanto uma maioria quer desempenhar suas funções pelo bem dos estudantes? De onde vém, para onde vai e com que direito nos arrasta junto este sindicalismo acalorado por intenções que já não compreendo bem quais são?

    De fato não tenho respostas, mas sim questões e mais questões… Quem responderá? Quem nos ouuvirá?

    • 5 Alexandre

      Caro Cristiano, qualquer greve é por princípio legítima, já que a constituição garante o direito à greve. Mas a única lei que regula os detalhes de qualquer greve proíbe claramente o tipo de trogloditismo que temos visto acontecer no campus da UFSM e fora dele. Portanto, eis que esta greve já não tem a legitimidade de que falas. O artigo 6º, parágrafo 3º da lei de greve diz: “As manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas não poderão impedir o acesso ao trabalho nem causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa”. Sabemos que foi exatamente este, e quase somente este, o ato de “persuasão” usado pelos trogloditas por aqui. Não tivessem agido assim, a maioria dos funcionários da reitoria teriam continuado normalmente o seu trabalho e talvez muito mais notas teriam sido registradas e matrículas feitas do que temos até o momento…

    • 6 Alexandre

      Esqueci de citar a fonte. A lei de greve vigente pode ser lida aqui: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7783.htm

  5. 8 Róbson

    Pois é, Ronai. Quando lideranças brevistas correm às secretarias para remarcar suas férias e atualizar suas bolsas; quando lideranças brevistas assistem às aulas, fazem avaliações e terminam o semestre letivo; quando se considera que 20, 16, 12 ou 8hs de aula repõem 40hs de salário recebido, então o pobre pensador de Rodin – nome para lembrar – percebe que a teia do deboche vem de cima. Ainda não veio o modus tollens anunciado na Resolução 017/12 e em outros Comunicados do Planalto, e não por falta de Lógica. Suspeita-se que o condicional não foi proferido com pretensão de autenticidade. Quando se faz uma promessa, rezava uma velha tradição, também se segura os testículos com uma das mãos. O descumprimento do contrato não atingiria apenas os lesados, mas também a descendência de quem prometeu e não cumpriu. Não é um acaso que a imagética e o humor do momento estejam tecidos com as metáforas do funeral e do falecimento, porém na anarquia das catástrofes não há princípio esperança.

  6. 9 Alexandre

    É interessantíssima a decisão da reitoria de suspender indefinidamente o fim do primeiro e início do segundo semestre para graduação, mas manter quase intacto o calendário anterior para a pós-graduação. Partem do princípio de que estudantes de pós não precisam usar nem as bibliotecas nem o RU… Condicionaram o início das pós no dia 20/8 a uma manifestação favorável das coordenações… Mais uma hipocrisia para a coleção…

    • 10 Márcio

      Os estudantes (dce,juventude psol) estão apoiando a greve a todo custo. Dizer que não tem como voltar as aulas por causa da biblioteca e Ru é só um argumento anêmico para fortalecer o movimento. E a reitoria acolhe essa essa fraqueza. A pós-graduação recebe dinheiro da capes e pelo que entendi a greve coloca em risco o recebimento das bolsas.

      O pior, na minha opinião, foram estas no comunicado da reitoria ”O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe)… decidiu suspender o início do segundo semestre letivo de 2012 para os cursos de graduação até que as atividades letivas do primeiro semestre sejam concluídas” e depois ”Conforme decisão unânime do conselho, a data de conclusão do primeiro semestre deve ficar em aberto para o encerramento das atividades letivas.”
      Mas bah tchê, tu achas que os grevistas vão sair da greve para terminar o primeiro semestre?

  7. 12 Róbson

    E agora? Como elaborar uma lista de brevistas e não brevistas? Aparentemente desde sexta-feira todos somos brevistas na ufesme.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/1135488-reitores-que-pagam-salarios-de-grevistas-devem-responder-por-improbidade-diz-agu.shtml

    • 13 Alexandre

      “Todos somos brevistas” se nada fizermos para provar o contrário… A hora de fazer é agora… Afinal, é ou não é absurdo que os brevistas continuem recebendo para não trabalhar, mas que eu ou você sejamos demitidos por não trabalhar em janeiro e fevereiro devido a uma decisão pseudo-democrática do CEPE?

  8. 14 Runildo Pinto

    Sr. Pelegos e carregadores de penico!
    Em primeiro lugar: o importante não é o caráter legal ou ilegal, a greve é um instrumento de luta da classe trabalhadora, em qualquer circusntância. Há momentos que subverter e resistir passa por cima da institucionalidade do Estado burguês estabelecido, com é o nosso. Em segundo lugar, ser pelego ou penico, da no mesmo. As categorias lutam e o processo pode ser ou não equivocado ou fora de tempo, a primeira lição é que se tem que lutar contra os interesses do Estado burguês nefasto aos interesses da classe. Quanto a greve do federais, ela responde a um processo desencadeado no governo FHC e acompanhado pelos governos PTistas, ou seja manter o funcionalismo público federal sem aumento salarial. Enquanto isto, os militares receberam aumento maiores, os parlamentares (que tem o desplante de concederem o próprio aumento). Esta greve, inaugura, o repúdio ao aparelhamento dos sindicatos e os demais movimentos sociais pelos governos PTistas – que fizeram com que a luta da classe trabalhadora esmorecesse e ficasse a mercê dos interesses do PT e de seus governos. Estes aparelhamento através de aliciamento ideológico de sindicalistas, corrompendo-os com privilégios em cargos públicos, grande somas em dinheiro público e de empresários que entram nos sindicatos pelo caminho das ONG’s. Esta é uma política essencialmente burguesa feita para dar respaldo a política de conciliação de classe promovida pelos governos PTistas. O objetivo é matar os movimentos sociais para privilegiar os interesses dos capital, e, também conseguiram assassinar o MST. Esta greve, repercute nas empresas privadas e este é um fenômeno importante que está acontecendo, faz na pratica a unidade com os trabalhadores europeus e rompe como o aparelhamento PTista. O governo Dilma quer privatizar os hospitais universitários federais, retirar a estabilidade no emprego dos trabalhadores concursados e precarizar os salários, para privilegiar a mercado (lembro que não podemos admitir que tratem a saúde dos trabalhadores como mercadoria). Esta é a prática neoliberal do PTismo! Agora, os pelegos carregadores de penico, ficam ai se queixando pela imprensa burguesa, pregando a despolitização e a ignorância para desmobilizar o moviemento. É preciso alcance de reflexão para entender os interesses que estão em jogo.

    Att.
    Runildo Pinto

  9. 15 Runildo Pinto

    Prof. e professores!

    Este “prof.” é o mesmo sem alcance que disse que o marxismo não é dialético!!! Este cara é uma piada. É por isto que o curso de filosofia da UFSM, é um dos mais reacionários do Brasil. O sr. roani. Faz o jogo do sistema que um dia contestou (até por ali). Acho que ele é do lema, aquele do roberto campos, ministro da ditadura: “Quem não foi socialista na juventude não tem coração. Quem continua socialista depois de adulto não tem cérebro”. Esta aberração da mediocridade é assimilada com tanta facilidade. Esta a mentalidade pululante pós-moderna e neoliberal que causa a desnutrição das universidades brasileiras. Com alguns professores sem compromisso com o conhecimento, acomodados pelo desleixo das Academias e submissos. Gostam mesmo é de fazer a “Apologia do Besterol”, realizando colóquios sobre a baratinha: se esta aparecer no assoalho de vossa casa, “de asas a imaginação” e fazem a pergunta: matamos ou não a baratinha? Esta é a universidade sem rigor e vigor, que repudia o conhecimento! Também, agora, tais como os ronai da vida, querem se fartar com a filosofia clínica, ganhar muito dinheiro em cursinhos para empresários, este é o fundamento da negligência dos prof, do tipo oportunista e sem caráter. Fica o recado do Adorno, em Mínima Moralia: ” “o conhecimento não tem nenhuma luz senão a que brilha sobre o mundo a partir da redenção”.

    Passe bem,
    Runildo Pinto

    • 16 Alexandre

      Prezado Sr. Pinto,

      A sua argumentação é tão completamente inconsistente que a sua única arma, além do neanderthalismo de seus colegas, é o ad hominem. A sua argumentação não é medíocre (medíocre significa mediano). É meramente péssima. O seu comunismo está totalmente defunto, não por ataques externos, mas por doença memética fatal. A América Latina é o último reduto de sua psicose, e apenas por ainda apresentar altíssimo grau de analfabetismo funcional. Você e seus colegas sempre foram poucos e continuam sendo. Continuam mamando nas tetas dos poucos governos democráticos existentes para destruir sua estrutura e substitui-la pela sua ditadura pseudo-proletária. Para você e seus colegas, leis estabelecidas por democracias só devem ser obedecidas quando conveniente – por isso você abre o seu discurso dizendo que o mais importante não é legalidade ou ilegalidade. Ontem o PT agia como você. No poder percebe que sem cumprir leis nada funciona. Se vocês estivessem no poder, fariam o mesmo, porém com grau ainda maior de hipocrisia… ou simplesmente jogariam a democracia no lixo e sovietizariam o Brasil, jogando por terra o pouco de desenvolvimento que existe neste país. Por enquanto vocês têm muita sorte, pois os reitores das federais se ocupam muito mais de manter sua imagem de democratas que de ser verdadeiros democratas. Lembre que nem todos são otários como vocês gostariam que fossem. Vocês são uma pequena minoria, cujo real apoio popular é quase zero.

      No mais, meu caro, você precisa estudar antes de falar besteira. Não existe filosofia reacionária. Filosofia é filosofia. Está muito acima das (aqui sim) mediocridades propagandísticas de pseudo-intelectuais. Aliás, o Adorno que você cita parece pregação da Igreja Universal. Se você quer se redimir, vá trabalhar e produzir como fazemos. Se quer ganhar muito dinheiro, está na profissão errada… Em países desenvolvidos só entram numa universidade os doutores ou pessoas com notório saber, e ainda assim, salvo “as estrelas”, começam com 3 a 4 mil dólares (na Europa menos ainda, com exceção da Alemanha, onde nem doutorado é suficiente para admissão). E a tua turma quer começar por cima, sem estudar e mal sabendo ler e escrever… Olha, vocês precisam é de um bom espelho, e de um bom banho…

      • Sr. Alexandre tua resposta foi rebaixada como o programa do Ratinho. Mexeu nos teus calos? HAHAHA que baixaria, que vergonha, que nível? Tu tem certeza que tu tem graduação e sabes escrever? Reeleia seu ultimo parágrafo. MEDIUCRIDADE É POUCO PRA TI! Alienado.

      • 18 Runildo

        Sr. Alexandre, Sem Pinto!

        Fazia tempo que eu não via alguém fazer uma retórica tão vazia! Em primeiro lugar, não falei que a filosofia era reacionária, falei que o curso de filosofia da UFSM é um dos mais reacionários do Brasil. E, portanto, a filosofia aqui é deturpada, aviltada, tem um perfil de classe dominador, que despolitiza, retira o sendo crítico, prega à alienação, acomodação etc. Segundo, que o Sr. se agarrou ao mais arraigado e reles academicismo vigente na universidade, com a intenção de dizer um “palavrão” com classe, mas se borrou todo. E porque se borrou todo? Porque começou errando na ortografia, é nendertal, poderia ter usado nendertalismo, para um grande volume cerebral e vazio usou: “nenderthalismo”, com “TH”, (uma estrangeirismo grosseiro) e “ad hominem”, muito menos adequado, me refiro a pessoa, sim! Mas, em hipótese alguma usei as próprias palavras do meu adversário para rebatê-lo. Apresentei a realidade variada (ignorada pelo Sr. e apresentada de forma perversa pelo meu adversário) e, realmente, com conteúdo ideológico de classe, a qual, fiz opção de lutar por toda a minha vida, isto é: a classe trabalhadora. Mostrei a “árvore” e apresentei varias referências que dão indicações para se compreeender à “totalidade da composição da floresta”.
        O Sr. Não teve a capacidade de me chamar de medíocre, preferiu usar o “significado mediano”, diferente da minha postura ao usar a mesma palavra referindo-se a pobreza de espírito e incompetência acadêmica do vosso colega Ronai, na significação insignificante. Quanto a “memética”, empregastes “bem” a palavra só que, agora uso ao ad hominem, digo: que aplicastes contra ti mesmo, pois quem vive de repetição, cópias e clichês batidos são vocês, e portanto, esclareço, luta de classes não tem genética, não é um replicagem genética, mas movida por fenômenos sociais, compreendidas no materialismo histórico e dialético. O Sr. ao afirmar que: “O seu (meu) comunismo está totalmente defunto, não por ataques externos, mas por doença memética fatal”, se aproxima ao darwinismo social, um vertente liberal e com aguda alegoria no fascismo. Darwinismo e marxismo são diferentes em aspectos fundamentais, mas eles têm em comum a crença que o comportamento humano pode ser compreendido através da ciência e que a vida ocorre sob determinadas leis. Enquanto Darwin busca a compreensão biológica dos humanos e, no mesmo caminho, dos outros animais, Marx pesquisa seu desenvolvimento social.
        Para seu governo, o nosso privilégio (e único) é que temos a dialética como método de avaliação, e podemos verificar na realidade as mudanças ocorridas nos sistema economico, político e social do passado, do presente e no mínimo o encaminhamento dado pela sociedade para o futuro. Não temos a visão fatalista de que o comunismo está morto e que a sociedade em que vivemos é assim por natureza, sempre foi e, assim será. Nem o Fukuyama acredita mais nessa bobagem! Não temos essa visão mecânica e adesista que o Sr e o Sr. Ronai aceitaram, a pretexto se colocarem como porta-vozes da contemporâneadade na UFSM e faturar ($$ junto ao empresariado) – filosofia clínica, através da cadeira “fofa de mofo” da academia, como encarnação do último homem, partidários do fim da metanarrativa, e da ausência referencias temporais e espaciais ou seja de atopia e acronia, quer dizer, aproveitadores oportunistas e vulgares da pulverização, do fracionamento da sociedade na sua forma esquizofrenica e no narcismo das pessoas por dentro da transição de época.
        O Sr. não apresentou nenhum argumento sobre a mudança de época que estamos vivendo, sobre o fim do modernismo e entrada do pós-modernismo, e seu fundamento é sem fundamento, demonstrando uma confusa e deturpada concepção sobre o desenvolvimento social contêmporâneo, quando afirma que: “a América Latina é o último reduto de sua (minha) psicose, e apenas por ainda apresentar altíssimos grau de analfabetismo funcional”. É, pois, um “argumento ornitorrinco”, isto é uma aberração! Enquanto, o Sr. Alexandre dá esse tiro no pé, na Venezuela, se faz uma experiência inédita, de se tentar fazer uma revolução através da estrutura burguesa de Estado, enquanto isto na Bolívia os índios, analfabetos absolutos e os analfabetos funcionais se organizam para deixar de serem invisíveis e exportam filosofia andina para conhecimento e estudos na Université Paris-Sorbonne. Sem falar na revolução cubana, que os senhores não têm nenhuma elaboração (só repetem a velha cantilena anti-comunista) sobre a relação da queda da Urss e a permanência de Cuba com seu processo socialista, às barbas do imperialismo mais poderoso da história da humanidade, o norte-americano. No México, há a EZLN – Exército Zapatista de Libertação Nacional, uma guerrilha que apresenta um domínio da cibernética, que amplia sua luta guerrilheira, em dialogos globais com intelectuais e movimentos sociais do mundo inteiro e no território – Chiapas onde dominam, quem obedece é o governo mexicano. Os Srs., ignoram a força que adquirem pequenos países como o Equador no contexto político mundial, antes países periférios e submissos, e hoje responsáveis por políticas e enfrentamentos importantes no contexto político mundial, dou um exemplo basico, o “Caso Assange”, sobre o asilo político do Sr. Julian Assange neste país da América Latina, que repercute por todo o mundo, em um desdobre que ratifica domínio de soberania Equatoriano contra o governo da Grã-Bretanha, – o “reino unido”, o mesmo que deu asilo político para Pinochet. Toda essa dinâmica, é justamente a revolta dos índios e analfabetos absolutos e funcionais da América Latina, que não querem mais permancer nestas condições, e, se assim, pensam: deram um passo importante para deixar essa situação, pois perceberam sua negação na sociedade e, não querem mais permancer, a consciência política ultrapassando a exclusão, porque entrou em processo de esclarecida resistência. E, por outro lado o vosso argumento é contraditório, pois na Europa, onde supostamente, no seu racioncinio, não há analfabetos absolutos e funcionais, existem movimentos, mobilizações populares e revoltas importantes contra o capitalismo por conta da crise econômica no velho mundo, sem falar nas revoltas árabes, avanços da luta Palestina etc. Não esqueça, é nos Estados Unidos da América que mais se discute, e se elabora o marxismo, na contemporaneidade. E mais, no auge da quebra da bolsa de valores em 2008, um dos maiores investidores do capital financeiro, o George Soros (mega-especulador), reivindicou o Marxismo. Você sabia? Para vossa miopia, isto é um colírio eficáz! E quem sofre de alguma psicopatia és tu, Sr. Alexandre, proveniente da tua submissão, por te curvares diante dos poderosos em troca de migalhas.
        Obviamente que começamos em poucos, fomos descontinuados por ditaduras militares e pelo neoliberalismo, estamos nos construindo à luz da nova conjuntura, esboçamos com concretude a tática e a estratégia para edificarmos a organização da classe trabalhadora. Agora, dizeres que: “Continuam mamando nas tetas dos poucos governos democráticos existentes para destruir sua estrutura e substitui-la pela sua ditadura pseudo-proletária. Para você e seus colegas, leis estabelecidas por democracias só devem ser obedecidas quando conveniente – por isso você abre o seu discurso dizendo que o mais importante não é legalidade ou ilegalidade. Ontem o PT agia como você. No poder percebe que sem cumprir leis nada funciona”. No que concerne a esta frase, primeiro, posso dizer, que é um aglomerado da mais pobre e reducionista forma de abordar tais assuntos . Segundo, tu ignoras a estrutura de classe do sistema capitalista. O que depõe contra ti, pois, os que andam mamando, são os mesmos que tu defende com unhas e dentes. O PT preferiu trair a classe, pois é uma partido essencialmente da ordem burguesa, constituido como tal. Tu como analista político é um desastre. O PT instituiu uma conciliação de classes ao chegar no governo, em uma conjuntura que confirma um capitalismo maduro no Brasil. Preferiu manter a ordem burguesa do que fazer uma aliança popular com o povo trabalhador, excluidos, índios, analfabetos absolutos e funcionais, para mudar as leis e a constituição e estancar a retirada de direitos e a precarização dos salários. A “Ptzada” se abraçou a burguesia. Se agarrou ao tronco do parlamento burguês como forma de dar respaldo a “democracia burguesa”. Mas, que democracia? Se direitos e deveres viraram mercadoria. A democracia morreu, Srs.!
        Ao me referir que o mais importante não é a legalidade ou ilegalidade (o Sr. não entendeu nada), me referia aos processo de luta da classe trabalhadora, que pode subverter a ordem, em determinadas condições da luta. Levando em conta a ideologia e a hegemonia da classe dominante (burguesia no poder), que a classe trabalhadora pode colocar em xeque. No nosso caso, o debate jogado pela mída burguesa é colocar toda a discussão no parâmetro da lei, respalda-la, e nunca revelar o caráter e a composição de classe da sociedade, passar a ideia de que a lei é de todos e para todos. A lei é para defender a ordem burguesa. Que lei de greve é esta de que se o trabalhador privado faz greve e o contrato de trabalho é suspenso? Quer dizer, é uma lei que pune por antecipação. Quanto ao servidor público, o Estado burguês poderia, blindá-lo com altos salários e garantir uma estabilidade no emprego com o incremento de privilégios, mas não o faz, porque com a ideia neoliberal de diminuição do Estado, procura debilitar o que resta dos servidores com estabilidade, com terceirizações, privatizações e, assim retirar a estabilidade no emprego. Acontece que esta categoria, procura resistir e não perder o que lhes resta. E o Estado vem ai com legislações mais rígidas para impedir movimentos mais agudos e que podem atigir as empresas privadas.
        No mais, Sr. Alexandre, é estranha a sua postura em defender o Sr. Ronai, o Sr. assume um posição de homem servil – capacho, puxa-saco, que caracteriza bem a sua situação de bajulador, que se lisonjeia com a baixeza. Eu estudo e quem deve estudar é o Sr., que no seu texto demonstra o total reducionismo e falta de conhecimento e prática política, um academicista, que “mal e porcamente”, se apega a moldes vulgares neoliberais. Os Srs. não trabalham, fazem de conta, colaboraram com a retirada do vigor do conhecimento, para formar técnicos vazios, vocês tem algum respaldo, pois, hoje, com a péssima qualidade de ensino nas universidades, a maioria dos alunos, querem mesmo, é não ter compromisso e esforço para adquirir conhecimento (com gente da vossa estirpe “ensinando” os alunos não vão saber onde está o conhecimento), querem que o período do curso passe mais rápido possível para sairem com o “canudo” em punho. Assim, lugar, onde professores insignificantes lhes dizem para não entrar no mérito de nada, que pensem apenas em pegar o seu no mercado e o que importa é se dar bem financeiramente e não acreditar em mais nada., muito menos em senso crítico. Quanto ao trecho, da pérola, que o Sr. escreveu: “Se quer ganhar muito dinheiro, está na profissão errada… Em países desenvolvidos só entram numa universidade os doutores ou pessoas com notório saber, e ainda assim, salvo “as estrelas”, começam com 3 a 4 mil dólares (na Europa menos ainda, com exceção da Alemanha, onde nem doutorado é suficiente para admissão). E a tua turma quer começar por cima, sem estudar e mal sabendo ler e escrever… Olha, vocês precisam é de um bom espelho, e de um bom banho…”. Primeiro que o Sr. não sabe em que profissão atuo e não preciso me redimir de nada, sempre tomei posição e arrisquei meu emprego e a minha pele por uma compreesão solidária, transformadora e contra todo o tipo de manipulação e alienação, alias quem precisa se redimir são os Srs. que fazem da Universidade o mais rebaixado estupro diário do conhecimento e da cultura. Em segundo lugar, os senhores agora distribuem aprovações em TCCs, mestrados e doutorados sem nenhum critério, não se sabe quem é pior se os alunos ou os professores orientadores – preguiçosos que se acham detentores do saber, uma falácia! O importante para vocês é jogar o máximo de pessoas no mercado, sem qualificação! Em terceiro lugar, esse trecho é um lixo, um amontoado de acusações sem base e fundamentos sérios. Tenho como lema estudar sempre, e vocês têm o lema de enganar sempre é cômodo! Quanto a citação do Adorno que fiz, está no contexto da tua falta de compreensão e para ti rebaixar o conteúdo é tarefa primordial no teu dia a dia. E para seu governo, não sou narcisista para ficar na frente do espelho, mas, lhe garanto que olho nos olhos das pessoas sempre, com uma franca tranquilidade e alegria, e tenho olhos para encarar gente mesquinha como os Srs., também! Enquanto, vocês, através do pedestal artificial da arrogância e da hipocrisia ficam ai dissolvendo o conhecimento em superficialidades, alienação e egoísmo no espelho! Vocês parecem que ainda não passaram do animal primitivo. E quanto a banho, conheço uma patologia que faz com que aquilo que a gente faz, e não a assume, se transfere para os outros. Portanto, Sr. Chulé, vai procurar a tua turma de pseudo-professores. A psicopatia é pululante na academia e os Srs. São seus legítimos representantes vaidosa pseudo-intelectualidade brasileira. Autênticos lambe-botas das elites brasileiras.

  10. 19 Runildo

    errata: neandertal; neandertalismo

  11. 20 Dênis

    Os valores estão realmente estranhos. Alunos preguiçosos querendo de forma quase que desesperadora poder voltar a estudar… Difamação, pesquise sobre.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: