Nonada, entre cronópios e famas

22ago12

Dona Dilma e o Sr. Reitor que se preparem: a assembléia dos brevistas decidiu, agora pela manhã, permanecer parada, até a chegada de setembro, esperando o nada chegar. Alguns poucos cronópios saíram do casulo e propuseram que o nada começasse já na segunda-feira, mas os famas, muito irritados, impediram isso, com o auxílio das poucas esperanças que olhavam para tudo, atônitas. Os cronópios, que queriam dançar trégua e catala na semana que vem, tiveram que assistir o ritual dos famas: eles deram-se as mãos e dançaram em roda, ao som da conhecida canção “A Alegria dos Famas”. As esperanças, que assistiam a tudo atônitas, fizeram coro aos famas e cantavam em coro: “Cruéis cronópios cruentos, querem acabar com a breve? Pois tomem!” O Çepe, que olhava de longe, ficou assustado com a irritação dos famas, que prometeram dar instruções bem precisas sobre como dar corda nos relógios e, principalmente, como subir as escadas dos nove andares da Reitoria.

PS: A descrição acima é apenas uma fantasia. A outra fantasia foi essa: a assembléia, marcada para as 8.30hs, que normalmente começa as nove, foi iniciada pontualmente; a primeira coisa votada, as 8.31, era se alguém dos vinte professores presentes queria incluir novo ponto de pauta. Ninguém se atreveu a tanto. Assim, não entrou em discussão sair da breve. Afinal, seria muito frustante acabar com a perspectiva dos vinte professores que aguardam ansiosamente acender as velinhas do bolo de noventa dias de dança de roda no sábado que vem.

Anúncios


5 Responses to “Nonada, entre cronópios e famas”

  1. 1 Róbson

    Veja só, Ronai, na assembléia de bravos brevistas foi dito o seguinte: Segundo fulano de tal, “informações extra-oficiais de que existem cursos de graduação que estariam dando início às aulas não deve passar de boataria, pois não haveria qualquer respaldo legal para isso. Na explicação do professor, enquanto o CEPE não definir um novo calendário, tudo o que se fizer estará sendo à revelia da legalidade. Disse também que o Comando de Greve está estudando algum tipo de medida jurídica para saber da reitoria sobre os encaminhamentos em relação ao início das aulas na pós-graduação e no Ensino a Distância (EaD).”
    Dialético ou simplesmente descaradamente truculento: com atos ilegais impede-se acessos à Instituição, serviços e deliberações de Conselhos Superiores, para agora colocar-se sob o respaldo e defesa da legalidade.
    Estamos apenas no começo: a assembléia é a lei e o CLB a força policial.
    Enquanto isso:
    http://g1.globo.com/politica/noticia/2012/08/dima-e-capa-da-revista-forbes-e.html

    • Róbson, eu mesmo, como diria o Mestre Guina, pretendo passear na floresta. Uma de minhas turmas está devidamente matriculada; marquei uma reunião com eles na semana que vem; se todos concordarem, começaremos as aulas. Certamente vou dar publicidade a isso, informando dia, hora e e local da aula; gostaria muito de saber se os executivos da breve tentarão impedir, pela força e em nome da legalidade, um grupo que quer, por livre acordo entre si, trabalhar. As ultimas ejaculatórias da breve dão conta que o prazo de paralisação se estenderá até o final do ano. Mas a boataria tem fundamento. Sei, mas não estou autorizado a dizer aqui, que alguns outros cursos de nosso centro estão já fazendo a recuperação do primeiro semestre; outros começam o segundo. Nosso Curso, de Filosofia, completou os papéis para a aprovação do çepe. O relato desse périplo será uma novela a parte, que pretendo contar depois da nova des-reunião do çepe. Grande abraço!
      (PS: quanto a minha outra turma, que não teve a matrícula integralizada porque um coordenador de um grupo de alunos de outro centro aderiu à breve, nada posso fazer a não ser, a partir da próxima semana, começar com aulas livres, para quem quiser apenas estudar filosofia pelo prazer da coisa. Vamos fazer algo juntos?)

      • 3 Róbson

        Sim, aulas livres ou regulares. Vamos sim! O conhecimento por ele mesmo!

      • 4 Adam Smith

        Parabéns pelo Blog. Me divirto muito!
        Aqui na Economia (UFSM) não pudemos mandar a papelada para o çepe por que o chefe do Departamento também é brevista, e não tivemos o “quorum” na reunião para a aprovação (somente as assembléias do Sedusfm podem ser realizadas sem o “quorum” hehehe…) estamos irresponsavelmente “acefálicos”

    • 5 Alexandre

      Pena que não pude ir. Eu teria dito a eles tranquilamente que grande parte do meu departamento já começou as aulas esta segunda, que a medicina nem parou (como nunca parou) e que alguns outros departamentos de outros centros também já começaram. Teria dito a eles que eles é que agem ilegalmente, e que o çepe perdeu a sua legitimidade de representação ao preterir a maioria em detrimento da minoria… Será que suportariam ouvir tudo isso? Talvez até tenha sido bom eu não ter ido…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: