Notícias da Terra 2

10set12

“Em comunicado especial divulgado neste domingo, 9, o Comando Nacional de Greve (CNG) do ANDES-SN, tomando como referência as assembleias realizadas por todo o país na semana passada, indicou pela continuidade do movimento grevista, que se aproxima de completar 4 meses. Apesar de considerar o cenário adverso pelo fato de o governo se negar a negociar, o CNG detecta, a partir das deliberações na base, a disposição de luta, especialmente em função dos prejuízos ao futuro da carreira docente, que se expressa através do projeto de lei 4638/2012, enviado à Câmara Federal. Conforme o balanço do Comando Nacional, o resultado da votação dos representantes das seções sindicais correspondeu a 17 votos pela continuidade da greve e 13 votos pela suspensão unificada da greve.”
Há quem acredite em vida inteligente na Terra 2.
Há quem acredite em discussões racionais no Zilbra 2.
Vergonha, que seria bom, nem pensar.
E há quem leve a çepe esse delírio.
Depois o maluco sou eu…

Anúncios


6 Responses to “Notícias da Terra 2”

  1. 1 Rogério Severo

    Pois é, e o curioso é que um dos 17 votos favoráveis à continuidade da greve foi do Sedufsm, contrariando o que foi “aprovado” na última assembleia (o fim da greve no dia 17/9).

  2. 3 Róbson

    Ronai, como somos analfabetos políticos (segundo os pronunciamentos dos esclarecidos de assembléia), não conseguimos agir a partir do que está se passando no ‘movimento’. Além do manobrismo, com a vergonhosa mudança do voto em Brasília a que se refere o Rogério, parece-me que a tática da derrota vitoriosa será a demonização do PL 4372/12. Quem entendeu a falaciosa “análise” do Projeto feita na semana passada pode inferir que a saída será possível com a recusa histórica em assinar um projeto que (sic) ‘achata salários’, ‘desestrutura a carreira’, ‘retira a autonomia universitária’, e ‘ferra’ com os aposentados (que votam pela greve, mas não dão nem recuperam aulas). É claro que o aumento nos vencimentos não existe, pois apenas o salário base é material (gratificações não enchem cálices, dirão). Quanto ao çepe, novas evidências surgirão com o final da breve discente. Talvez a conclusão correta seja a do Alexandre: somos inertes em demasia. De volta ao Discurso da Servidão Voluntária?

    • 4 Alexandre

      Na verdade enfrentamos um problema semelhante ao de nossos alunos: enquanto nosso tempo é um só, nossas atividades num momento como este exigem dois tempos, um para o individual e outro para o coletivo. A maioria dos não-brevistas optou por priorizar o individual. Alguns totalmente, outros quase totalmente. O resultado é o que estamos vendo: nossa completa submissão à quase-ditadura do Sedufesm…

      Mas creio que há mais uma razão para a “opção inidividual” neste caso. É que muitos não-brevistas estão na verdade em cima do muro. Não têm uma idéia formada da história das breves de docentes e seus resultados. Tanto é que alguns na assembleia acabaram na última hora persuadidos pelos dons retóricos da tchurma sedufésmica…

      Conclusão evidente: não estamos nem organizados como eles, nem informados como eles. Eles são guiados por ideologia, e nós por praxis. É uma batalha desigual…

  3. 5 Róbson

    Aqui, na Ufesme do B, novas categorias ontológicas. Já conhecemos o “estado de greve”, agora temos “suspensão de greve até 2013, caso as negociações com o governo não avancem”. Como não há negociações em curso, entenda-se: nova breve em 2013, com os mesmos alfabetizados políticos no comando e na base.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: