Ambiguidades

16maio13

Ambiguidade, linguísticamente, é o fenômeno de uma expressão ter mais de um significado. A ambiguidade tem várias formas, algumas inocentes, outras nem tanto. A mais inocente de todas é a ambiguidade lexical, aqueles casos em que uma mesma palavra tem mais de um significado. “Manga”, por exemplo, pode ser de camisa ou fruta. Mas isso é inocente porque ninguém fica dizendo palavras soltas por aí. A ambiguidade processo-produto é mais interessante. A expressão “ciência”, por exemplo, pode ser considerada, entre muitos aspectos, na dimensão diacrônica (sua história) e na dimensão sincrônica (o estado da arte) e o jogo sutil com esses dois significados pode produzir confusões, como no caso dos garotos que gostam de posar bonito dizendo que as verdades científicas são “relativas”.
No caso da
(a) consulta à comunidade conduzida pelos Conselhos Superiores da Ufesm;
(b) eleição para a Reitoria da Ufesm
temos um caso muito estranho de ambiguidade.
As expressões em itálico acima, em a) e b) não são minhas. Elas constam do material de divulgação que está na página oficial da Ufesm. A ambiguidade é estranha porque invertida: uma mesma “realidade” é designada por duas expressões que indicam coisas totalmente diferentes. Eleição é uma coisa, consulta é outra.
Faz trinta e dois anos que é assim na Ufesm. E a gente vamos levando.
Isso deveria dar uma idéia do ritmo cauteloso das mudanças nas universidades.
Se a Universidade de Paris tivesse CGC, seria o CGC mais antigo da história da humanidade. Ela recebeu o título de universitas em 1208. Ela só perderia para o CGC da Igreja Católica. As universidades não mudam assim no mais. Elas são quase tão antigas quando a Apostólica.
Os candidatos à consulta deveriam pensar nisso na hora de fazer suas promessas.
As universidades, para poder fazer o que fazem bem, aprenderam a conviver com as ambiguidades e os candidatos da vida.
“Eles passarão.
Nós, passarinho.”

Anúncios


2 Responses to “Ambiguidades”

  1. 1 Juliana Santos

    E lá vai uma ambiguidade usada pelo alunos ao lerem teu texto diriam: “pior”… e lá se recomeça a discussão…. Nossa Ufergs,
    também não é diferente!!! Abraços amigo, colega, aluno, pai, filósofo dear Ronai.

  2. 2 Róbson

    Para introdução a “Sentido e Referência”: “A consulta à comunidade conduzida pelos Conselhos Superiores da Ufesm é a eleição para a Reitoria da Ufesm.”

    Parece que é este enunciado de identidade que tem sido tomado como verdadeiro faz 32 anos na Ufesm, apesar da LDB.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: