Lua de fel. Amanhã, quem sabe, tem CU.

09out14

DSC01346Hoje entrei para a sala de aula as 8.30, saí as 12.10 e continuei imerso na rotina acadêmica até as 19.30. Daí que foi somente na entrada da noite que fiquei sabendo que não houve expediente hoje na Reitoria da Ufesm, dado que os estudantes que protestavam no Gabinete do Reitor desceram até a portaria e trancaram o prédio todo, impedindo 600 pessoas de trabalhar. Os protestantes prometem prosseguir o protesto até amanhã, sexta-feira, quando há reunião do CU que pode re-deliberar sobre a resolução sobre administração da moradia estudantil que, segundo eles, está na raiz do protesto, por diminuir ou retirar a autonomia que os moradores tem sobre as Casas.
O Professor Alexandre fez um longo comentário na postagem que fiz ontem, expressando sua indignação sobre o que lhe parece um excesso na ocupação. O dia de hoje trouxe mais gente para partilhar o ponto de vista dele. Ele também reflete sobre as virtudes e vícios do sistema eleitoral de reitores. O tema me interessa muito, e pretendo voltar a ele na medida em que esquentarem os debates sobre a estatuinte da Ufesm. Afinal, o atual reitor ganhou apoio maciço dos estudantes, tendo perdido entre os professores. E assim vai-se a base?
O que está chamando a atenção da comunidade universitária da Ufesm no presente episódio é o fato de uma pacífica ocupação da sala do reitor (os alunos saíam para fora do prédio para fumar, como eu mesmo vi) evoluir para um trancaço geral do prédio.
Há um evidente exagero nisso. O reitor, desde o primeiro momento, manteve o bom humor e se dispôs a negociar com os ocupantes de sua mesa. O que os levou a radicalizar, ocupando o prédio como um todo? Qual fato azedou, em poucas horas, o bom humor que os próprios ocupantes, em sua maioria demonstravam? Qual foi a linha de comunicação entre a reitoria e os estudantes que se rompeu? Quem se aproveitou da ocupação para tirar uma lasquinha?
Um dos participantes do evento me deu a entender quer a radicalização de hoje não veio do núcleo de moradores, mas sim de novos participantes que se somaram ao grupo por vontade própria. Ou seja, a coisa escapou do controle.
Foi tiro no pé o trancaço de hoje. O simbolismo que ainda sobrava ontem, como comentei, está indo para o espaço. Não precisava. Afinal, o que será que a gurizada vai fazer se o Aécio propuser o ensino pago nas federais? Se uma resolução por transparência na administração das casas provoca isso, partirão para imolação com gasolina diante do planetário?
Foi tiro no pé. A ocupação termina em lua de fel.

Anúncios


3 Responses to “Lua de fel. Amanhã, quem sabe, tem CU.”

  1. 1 Alexandre

    Opa! É isso mesmo…

  2. 2 Jéssica Erd

    Eu estava lá, fiquei o tempo todo. Não trancamos geral desde o início porque estávamos mobilizando o pessoal. Mobilizar no primeiro dia, trancar no segundo ( com intuito de pressionar mesmo a reitoria) e ver o que se segue no consu. Pois bem, assim foi… e o resultado ? REVOGAÇÃO com unanimidade. A velha resolução não visa transparência nas vagas isso é conversa. A própria Pró-reitoria de Assuntos Estudantis era contra a criação do edital. E não estávamos reivindicando nenhum absurdo, apenas queríamos manter o processo que vem acontecendo há anos. Outro fato, nunca nos colocamos contra a dar qualquer tipo de esclarecimento ou informação sobre as vagas, a Prae pode confirmar isso. Apenas nos colocamos contra três artigos da resolução, que apenas dificultariam ainda mais o acesso do estudante à casa, uma vez que o edital teria até 90 dias para ser aberto, e enquanto isso a união cheia de estudantes esperando. E os outros dois pontos, incluiriam pessoas de outros lugares para confirmar a vaga do morador, o que se faz há muito tempo pelas diretorias das casas. E se essas pessoas não se reunirem ? E se faltar alguém ? A culpa vai pra quem ? quem perde com isso ? Então, defender a autonomia não implica em nenhum momento em não ter transparência. Reitero ainda, que as estratégias usadas em uma organização ficam a mercê de segundas, terceiras, quartas, interpretações. E cada um vê a coisa como quer, mas se é ou não é, ah isso é outra questão.

    • 3 Ronai Rocha

      Olá Jéssica, obrigado pelo comentário e esclarecimentos. Pelo que contas os responsáveis pela redação da resolução não deram ouvidos à própria Prae, em certo sentido. Ok, foi esclarecedor. Agora, continuo achando que houve exagero em trancar do lado de fora 600 pessoas. Acho que essa radicalização do ME, logo no início da nova gestão, não contribui para o acumulo de forças que a Reitoria vai precisar em algum momento não muito distante. As interpretações das estratégias, acho eu, não ficam assim tão a deriva, no jogo de forças político. Enfim…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: